Sunday, July 09, 2006

Um poema do Duarte - Inédito!!

Aqui fica um poema do Duarte, enviado ao Raul (nós morremos de inveja!!). Assim que o Raul chegar de férias poderá agradecer pessoalmente.

Nós também agracedemos esta delícia aqui deixada com votos de bom domingo!

7 (Ou Outra Coisa Qualquer)

Duarte - Abril de 2006


Seja lá isso o que for
Sem querer dizer bem ou mal
Ao que tu chamaste amor
Eu chamei de ritual.

Acabámos por ficar
Muito aquém das expectativas
Para lá de qualquer lugar
A sarar algumas feridas.

Pôr em causa foi amar-te
Não escolher foi cobardia
Mais difícil que deixar-te
Foi saber que não virias.

4 Comments:

At July 09, 2006, Anonymous Karla said...

Epá, ia eu a sair e aparece esta surpresa!! O poema é linnndo... em que estava ele a pensar quando o escreveu!???
Este fadista é um poeta além do mais!!

 
At July 10, 2006, Anonymous Anonymous said...

Muito bom... mesmo muito bom!!!!

Tão simples e com tanto a dizer!!!!!

Não conhecia... passei aqui por acaso mas começo a gostar de fado!!!

Artur

 
At July 10, 2006, Blogger stellamaris said...

Que inspirador, que simplicidade rodeada de afazeres... Quem dera agora ouvi-lo cantado pela voz inconfundível do Duarte!

 
At July 13, 2006, Anonymous Anonymous said...

Grande letra!!!!
Parabens Duarte

João

 

Post a Comment

<< Home



Évora Doce
By Duarte
BestAudioCodes.com